quarta-feira, 14 de março de 2007

Como um tom

Como um tom, que o espelho mostra,
soa em novembro um canto de
melro
ou como um arrepio nos pêlos,
como a comida preferida.

Mas numa manhã em fevereiro
Já se pode ousar, como um
papa-capim,
a lembrar-se de algo que durante
o ano não se pôde dizer abertamente.


Muzot, meados de fevereiro de 1924

(Por: Rainer Maria Rilke: primavera.)

Nenhum comentário: